Voltar

Educação de alma brasileira – Múltiplos olhares

9 de março de 2018 Ouvir o texto

No Brasil, o conceito de uma educação como direito social concernente a todos foi legitimado apenas no século XX, com a Constituição Federal de 1988. Uma conquista ainda muito recente, fruto do trabalho e do ativismo incansável de educadores de todo o território nacional.

Ser um educador em meio a crises políticas e econômicas constantes, em condições de elevada desigualdade social e de desvalorização profissional, exige um tipo de força, de resiliência pessoal e coletiva, que termina por compor a essência de uma educação nacional.

Nossos educadores se reúnem, formam redes que permitem a troca de experiências, o acolhimento e o estímulo para seguir em frente, driblando os diversos obstáculos e enfrentando corajosamente os desafios interpostos na caminhada. Nesse sentido, as relações são de extrema importância, e o afeto, sempre tão presente, imprime uma qualidade para o movimento educativo.

A partir de uma mirada mais ampla para a educação é possível observar que a união de condições desfavoráveis com a gana de milhares de professores de tornar a educação um direito público de fato estabelece uma personalidade muito própria, que, de alguma forma, distingue a educação brasileira.

Pilar Lacerda é Diretora da Fundação SM

*Texto originalmente publicado no livro Educação de alma brasileira. Faça o download integral do livro aqui: www.educacaodealmabrasileira.net

 

Lançamento do livro Educação de alma brasileira

Data: 10 de março de 2018

Horário: 14h30

Local: Instituto Singularidades (SP)

Inscrições: https://pt.surveymonkey.com/r/QS8WRKK

Sobre o livro:

Sob coordenação de Antonio Sagrado Lovato e Tathyana Gouvêa, o projeto analisa os principais movimentos da educação nacional, o propõe uma “revisão histórica dos momentos em que ocorreram as principais irrupções de novas ideias e experiências educacionais” e apresenta uma seleção de educadores e manifestações  que inspiraram, e continuam inspirando, gerações de brasileiros. Os textos levam a assinatura de pedagogos, jornalistas, advogados e engenheiros.
Além da Diretora da Fundação SM, Pilar Lacerda, participaram da curadoria do livro Cleuza Repulho (Consultora educacional), Helena Singer (Ashoka Brasil), Natacha Costa (Associação Cidade Escola Aprendiz) e Rafael Parente (edtech Aondê).

Fundação SM publica anuário sobre livro infantojuvenil

Matéria 09/05/2022

Na 13ª edição do Anuário Ibero-Americano do Livro Infantojuvenil 2021, o leitor encontra um panorama sobre a realidade do setor editorial na Ibero-América e a situação atual em cada um dos países em que a Fundação SM está presente.

Saiba mais

UNESCO propõe pacto para transformar a educação

Matéria 28/04/2022

O relatório “Reimaginar nossos futuros juntos: Um novo contrato social para a educação”, elaborado pela UNESCO e publicado em português e em espanhol pela Fundação SM, destaca como o compromisso coletivo pode promover na educação a equidade, a justiça e o acesso de todos.

Saiba mais

Catálogo Ibero-América Ilustra está na 13ª edição

Matéria 22/03/2022

Prêmio voltado para ilustradores ibero-americanos de livros infantojuvenis reúne trabalhos incríveis de profissionais consagrados e jovens talentos em uma publicação anual, robusta e inspiradora. Inscrições até 29 de abril.

Saiba mais

Fundação SM lança pesquisa sobre igualdade de gênero

Matéria 08/03/2022

Pesquisa da Fundação SM realizada por ocasião do Dia Internacional da Mulher revela dados preocupantes sobre as percepções de jovens do Brasil, Chile, Espanha e México sobre igualdade de gênero.

Saiba mais

Fundação SM lança 18º Prêmio Ibero-americano SM de Literatura Infantojuvenil

Matéria 07/03/2022

Estão abertas as inscrições para o XVIII Prêmio Ibero-americano SM de Literatura Infantojuvenil, uma iniciativa da Fundação SM que reconhece o legado de escritores e escritoras cujas obras são consideradas muito relevantes para a literatura infantojuvenil.

Saiba mais

Ver mais notícias