Voltar

Myra – Juntos pela leitura

21 de fevereiro de 2017 Ouvir o texto

“Ler é uma coisa maravilhosa. Ler para o outro é muito bom, pois você está dando o que tem de melhor. Agora, ler com o outro é uma troca poderosa”. A editora Ana Luiza Couto resume assim o saldo positivo de sua experiência como tutora do Myra, um programa de voluntariado para o fomento à leitura, lançado pela Fundação SM, em 2016, a princípio como um piloto.

Baseado no projeto catalão Lecxit, desenvolvido pela Obra Social “la Caixa” em parceria com a secretaria de educação local e a Fundação Jaume Bofill, o Programa Myra foi redesenhado pela Fundação SM, com o apoio técnico da Comunidade Educativa CEDAC, de forma a corresponder às demandas da realidade brasileira.

Na prática, o programa promove encontros de leitura, em escolas públicas, em que um voluntário lê com uma criança, construindo pontes entre o texto, outros livros e vivências. Neste processo estão imbricados diversos agentes da comunidade escolar. “Ao reunir escolas, voluntários e famílias em prol da leitura, o Programa Myra abraça a educação integral, que tem como um de seus princípios a ideia de que somos todos responsáveis pelo desenvolvimento e aprendizagem de crianças e adolescentes. Para a Fundação SM, a leitura é um importante caminho para o conhecimento de si e do outro, além de ampliar as possibilidades de ação e intervenção na realidade”, explica a Diretora da Fundação SM, Pilar Lacerda.

Nessa ação conjunta, a escola exerce papel fundamental, sediando os encontros, identificando os estudantes de 4º a 6º anos, do ensino fundamental, e articulando o diálogo entre os demais participantes do programa.

Também merece destaque a atuação do voluntário – pertencente ao quadro de colaboradores da Edições SM –, que recebe orientação contínua da coordenação do programa. Além dos encontros de formação, o voluntário tem acesso a uma série de ferramentas, disponibilizadas a cada etapa de trabalho com o intuito de contribuir para a identificação dos níveis de compreensão leitora do estudante.“Nos encontros de formação, trabalhamos temas como concepção de leitura e escuta atenta na formação de leitores, além de conversar sobre a relação com os estudantes e a organização das sessões de leitura. Em 2017, o foco será a continuidade e ampliação do programa na escola parceira, além da adesão de uma nova escola e de novos voluntários”, conta a coordenadora técnica do Myra, via Comunidade Educativa CEDAC, Sandra Medrano.

Para a editora de arte, Rita Aguiar, que participou da fase piloto do Myra e permanecerá como voluntária nesta nova etapa, uma das palavras que exprime a essência do programa é esperança. “Esperança de dar um futuro melhor para a criança, de empoderar a criança para que ela tenha acesso a tudo o que puder através da leitura. Essa foi uma das coisas mais vivas e marcantes no processo dos encontros de leitura. As crianças foram se empoderando, lendo com mais propriedade e com mais confiança”, comenta Rita a respeito de sua experiência como voluntária do programa.

Para saber mais sobre o Myra – Juntos pela leitura, acesse programamyra.org

Vem aí o 15º SIEI

Matéria 20/01/2022

Durante três dias, especialistas internacionais compartilharão reflexões e análises sobre educação para a cidadania global por meio de uma abordagem solidária e humanista. Dias 16, 17 e 18 de março de 2022. Totalmente online e gratuito.

Saiba mais

Por um 2022 com esperança

Matéria 20/12/2021

Encerramos 2021 desejando que em 2022 pratiquemos o esperançar: que estejamos juntos, juntas e juntes em prol de uma educação de qualidade para todas as crianças e jovens, pois juntos cuidamos da Educação.

Saiba mais

Fundação SM apoia Academia de Líderes Ubuntu

Matéria 17/12/2021

Na primeira edição digital do Ubuntu United Nations, com tema “Construir pontes: jovens pela unidade na diversidade”, entre os 600 jovens selecionados de 190 países, quatro são brasileiros: Anderson Pereira, Natália Cócolo, Thaise Temoteo e Vitoria Galvão.

Saiba mais

Fundação SM e OEI anunciam vencedores nacionais do Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos

Matéria 14/12/2021

Escola Municipal de Ensino Fundamental Duque de Caxias, de São Paulo, vence com o projeto Aula Pública e os novos desafios com a pandemia da Covid-19, enquanto o Projeto UniFavela – semeando o ensino popular, da Associação Social UniFavela, do Rio de Janeiro, foi o vencedor na educação informal.

Saiba mais

Conheça os finalistas nacionais do Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos

Matéria 13/12/2021

Este ano, o Prêmio de Educação em Direitos Humanos Oscar Arnulfo Romero recebeu 71 inscrições de instituições de ensino e de organizações da sociedade civil que desenvolveram projetos com foco na garantia do direito à saúde na sala de aula.

Saiba mais

Ver mais notícias