Voltar

Fundação SM lança Pesquisa Jovens na Ibero-América

22 de setembro de 2022 Ouvir o texto

  • A violência, com 40% das menções, é a questão que mais afeta pessoalmente os jovens brasileiros. 
  • 41% dos jovens afirmam ter presenciado e encontrado imagens ou conteúdo sexual e violento na Internet. 
  • 23% dos jovens dizem ter vivido ou presenciado sérias ameaças através da Internet. 
  • O relatório Jovens na Ibero-América 2021, da Fundação SM, analisa a realidade atual dos jovens ibero-americanos de 15 a 29 anos.

 A violência e a corrupção são as duas questões que mais preocupam os jovens brasileiros com idade entre 15 e 29 anos, juntamente com outras questões diretamente ligadas: drogas e álcool.

Estas conclusões são apenas uma pincelada da radiografia dos jovens revelada no último relatório Jovens na Ibero-América 2021 realizado pelo Observatório da Juventude na Ibero-América, promovido pela Fundação SM. Foram realizadas 13.500 entrevistas com jovens de todos os estratos sociais no México, Peru, República Dominicana, Chile, Brasil, Argentina, Equador, Colômbia e Espanha.

De acordo com o relatório, os jovens brasileiros são os que mais demonstram preocupação com esta questão na Ibero-América.

Além disso, 41% dos jovens pesquisados declararam ter presenciado ou sido vítimas de conteúdo violento ou sexual na Internet. 23% também declararam ter testemunhado assédio e intimidação através da Internet, 33% agressões físicas a amigos ou conhecidos, enquanto 30% declararam ter presenciado violência policial. Maus-tratos na escola e no trabalho são outros problemas relatados por jovens brasileiros, já que 32% afirmaram ter presenciado maus-tratos no âmbito escolar.

Coisas que lhes importam

Talvez por causa desta preocupação com a violência, os jovens brasileiros afirmam que a segurança cidadã é uma das questões que mais valorizam, atrás apenas da família (99%), da saúde (98%) e da educação (98%).

A segurança cidadã ocupa a quarta posição: 95% afirmam que é uma das coisas mais importantes na vida, embora também dizem que confiam nas Forças Armadas (67%), na Polícia (60%) e no sistema judiciário (47%). A pesquisa aponta que os jovens brasileiros são os que mais confiam nessas instituições na Ibero-América. Em contraste, só 17% dizem que confiam nos partidos políticos e 31% no governo.

Por outro lado, os jovens brasileiros são também os mais conscientes na Ibero-América em relação à desigualdade de gênero, outra de suas maiores preocupações. Os jovens brasileiros classificaram a situação das mulheres como pior em termos de salários (55%), oportunidades de trabalho (50%) e distribuição das tarefas domésticas (52%), juntamente com a distribuição das tarefas familiares.

Da mesma forma, preferem viver em sociedades diversas (64%); consideram que os imigrantes são tratados com indiferença (31%) e desconfiança (20%) e a grande maioria estaria disposta a iniciar um projeto migratório.

Discriminação e nível de liberdade

O relatório também destaca outros aspectos, como o fato de que quase 60% dos jovens brasileiros pesquisados afirmam ter se sentido discriminados, sendo a aparência física (14%) e a maneira como se vestem (14%) os motivos mais comuns.

Em contraste, a falta de liberdade é um sentimento compartilhado pela maioria dos jovens ibero-americanos. 69% dos jovens brasileiros pensam que têm menos liberdade do que deveriam, enquanto apenas 21% afirmam ter um nível de liberdade adequado.

Críticos de sua geração

Assim como os demais jovens ibero-americanos, projetam uma visão crítica de sua geração (rebeldes, muito preocupados com a imagem, consumistas) e demandam uma educação afetivo-sexual que enfatize aspectos como: prevenção de doenças (HIV/AIDS), métodos contraceptivos, amor e relações sentimentais, problemas nas relações sexuais, orientação e prevenção à violência e abuso sexual.

Desigualdade e estudo

As desigualdades sociais e econômicas continuam prejudicando as expectativas de futuro dos jovens ibero-americanos em situação de vulnerabilidade. “O fato de que o Brasil, com um vasto território e seus grandes recursos naturais, bem como infraestruturas e desenvolvimento econômico maior do que muitos países da região, mostre tais taxas de desemprego ou de pessoas sem estudos nem trabalho entre sua população jovem, merece uma análise mais profunda e que deve ser estendida a toda a região”, afirmam os autores do relatório.

Em 2019, o Brasil já era o país da Ibero-América com a maior taxa de jovens que não estudavam ou trabalhavam: 14,29% dos pesquisados. Também teve a maior taxa de desemprego, com 6,93% dos pesquisados. Essa circunstância, depois da pandemia, também teve repercussões nos demais países, agravando a situação em todos eles.

Para Paulo Carrano, um dos autores do relatório e professor da Faculdade e Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), “a educação é uma das principais preocupações dos jovens ibero-americanos, pois eles acreditam que precisam dela para poder ascender socialmente, também mostram preocupação com a incerteza do futuro, que é marcada pelas desigualdades sociais e econômicas”.

Prestígio e confiabilidade dos relatórios da Fundação SM

Jovens na Ibero-América 2021 é parte de um trabalho mais extenso que a Fundação SM está desenvolvendo com o Observatório da Juventude na Ibero-América. Trata-se do décimo estudo realizado pela Fundação SM para conhecer as preocupações, interesses e motivações da juventude.

Mayte Ortiz, diretora-geral da Fundação SM, ressalta que o relatório é mais um documento que marca o fim de um período de trabalho “gostaríamos que fosse o começo ou o impulso para que toda a comunidade educacional trabalhasse em colaboração para definir itinerários de formação de cidadãos e cidadãs globais que atuam a partir da ética do cuidado para alcançar verdadeiras transformações sociais para o bem comum”.

Os autores e responsáveis pelo estudo, Juan María González-Anleo, Martha Lucia Gutiérrez Bonilla, Juan Raúl Escobar Martínez, Eliane Ribeiro, João Pedro da Silva Peres, Lorenzo Gómez Morín Fuentes, Paulo César Rodrigues Carrano, Maria Pereira, Mateo Ortiz-Hernández, Natalia Reyes Fernández, Ariana Pérez e Paloma Fontcuberta, têm ampla experiência em pesquisas no âmbito da juventude e participaram anteriormente de outros relatórios e pesquisas da Fundação SM.

Evento de lançamento 

A pesquisa Jovens na Ibero-América 2021 foi apresentada ao público nesta quinta, 22/09/2022, durante um evento no auditório Paulo Freire, da UNIRIO (Universidade Federal do Rio de Janeiro), e contou com a participação de Paulo Carrano, autor da pesquisa e professor associado da UFF, Faculdade de Educação; Eliane Ribeiro, autora da pesquisa e professora doutora da Escola de Educação da UNIRIO; Mayte Ortiz, diretora da Fundação SM; Evelyn Sousa, socióloga, mestre e doutoranda em Educação; e Antonio Carlos, estudante de Ciências Sociais e pesquisador de ações afirmativas como bolsista PET. A mediação ficou a cargo de Regina Novaes, antropóloga, pesquisadora visitante emérita do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIRIO.

Faça download do Resumo Executivo da pesquisa Jovens na Ibero-América e confira as principais conclusões do estudo

Leia na íntegra a “Pesquisa Jovens na Ibero-América 2021” no site do Observatório da Juventude na Ibero-América.

 

 

Assista ao evento de lançamento da Pesquisa Jovens na Ibero-América 20221

 

Antonio Orlando Rodríguez é o vencedor do XVIII Prêmio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil

Matéria 23/09/2022

O escritor cubano Antonio Orlando Rodríguez é reconhecido por sua trajetória e vence, por unanimidade, o Prêmio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil em sua décima oitava edição.

Saiba mais

Parceria entre Fundação SM e Itaú Social doa mais de 15,2 mil livros para Pontos Myra

Matéria 26/08/2022

Aproximadamente 2,5 mil crianças e jovens receberam kits com livros do acervo do projeto “Leia com uma criança” para instituições participantes do Programa Myra – Juntos pela leitura.

Saiba mais

Jovens criam projeto inovador para escola de educação infantil na Espanha

Matéria 28/07/2022

Jovens de nove países ibero-americanos receberam o seguinte desafio: transformar uma escola de educação infantil que atende crianças em situação de vulnerabilidade em um ambiente mais inclusivo e inovador. Confira o resultado.

Saiba mais

Portuguesa Eva Evita vence 13 Catálogo Ibero-América Ilustra

Matéria 27/07/2022

Além do trabalho de Eva Evita, 44 ilustradores ibero-americanos serão incluídos na publicação e na exposição itinerante, incluindo os brasileiros Guilherme Karsten e Weberson Santiago.

Saiba mais

Joyce Miranda Leão vence a 18ª edição do Prêmio Barco a Vapor

Matéria 25/07/2022

O livro narra a história de uma jovem que passa a ser perseguida por uma sequência de números e recorre a diferentes profissionais para ajudá-la a lidar com o problema.

Saiba mais

Ver mais notícias