Voltar

Novos Pontos Myra vão apoiar formação leitora em comunidade

16 de julho de 2021 Ouvir o texto

Um ditado africano diz que é preciso uma aldeia para educar uma criança. A ideia reforça a importância da participação social na educação, que não é apenas responsabilidade da escola, da família ou de outras instituições. O Programa Myra – Juntos pela leitura, tem como uma das principais características a participação de voluntários que realizam sessões semanais de leitura com crianças, contribuindo com sua formação leitora.

Com cinco anos de existência, o Programa Myra já apresentou resultados que comprovam seu impacto no comportamento e competências leitoras dos atendidos. Além dos grupos de acompanhamento, realizados em duas escolas na cidade de São Paulo, a participação da comunidade é ampliada pelos Pontos Myra – instituições que aplicam de forma autônoma a metodologia do Programa.

Atualmente existem quatro pontos Myra na região metropolitana de São Paulo, mas Mariana Franco, gerente da Fundação SM, destaca a importância de ampliar essa forma de atuação. “Além de nosso desejo, é da natureza do programa que ele venha a ser ampliado e reproduzido, de forma gratuita, com parceiros – tudo para alcançar e beneficiar um número cada vez maior de estudantes”, afirma Mariana.

Instituições de oito municípios se inscreveram para participar do processo seletivo de novos Pontos Myra, realizado por edital.  Dessas, duas foram selecionadas pela Fundação SM e Comunidade Educativa CEDAC, que estão juntas desde a criação do Myra.

Cristiane Tavares, coordenadora pedagógica do Programa Myra na CE CEDAC, conta que foi gratificante conhecer o perfil das instituições que se inscreveram no edital dos Pontos Myra e destaca a diversidade de instituições inscritas: bibliotecas públicas, escolas municipais e estaduais, ONGS, CCAs, associações. “Isso revela o potencial de alcance desse projeto que prioriza o fortalecimento do vínculo dos estudantes com a leitura e o compromisso de toda a sociedade civil com a formação de leitores”, aponta.

Conheça os novos Pontos Myra

A diversidade foi contemplada na seleção. Um dos novos pontos Myra será a Biblioteca Pública Municipal Professor Josino Bretas, que fica em Caldas Novas (GO) e atende principalmente estudantes de escolas públicas. Utilizando o próprio acervo, a biblioteca pretende reativar um grupo de Amigos da Biblioteca para atuação no voluntariado e levar mais as crianças para perto dos livros e leitura.

A Bahia também terá um Ponto Myra, no município de Caravelas. A Escola Municipal José Luiz de Souza está em uma comunidade pesqueira, já tem voluntários atuando na área de música e quer ampliar parcerias no território.

A Fundação SM entrará em contato com as representantes das instituições selecionadas para dar andamento aos próximos passos do termo de parceria e plano de ação.

Para saber mais sobre o Programa Myra – Juntos pela leitura e fazer parte dessa comunidade leitora, acesse o site e acompanhe pelo Instagram @programamyra.

Vem aí o 15º SIEI

Matéria 20/01/2022

Durante três dias, especialistas internacionais compartilharão reflexões e análises sobre educação para a cidadania global por meio de uma abordagem solidária e humanista. Dias 16, 17 e 18 de março de 2022. Totalmente online e gratuito.

Saiba mais

Por um 2022 com esperança

Matéria 20/12/2021

Encerramos 2021 desejando que em 2022 pratiquemos o esperançar: que estejamos juntos, juntas e juntes em prol de uma educação de qualidade para todas as crianças e jovens, pois juntos cuidamos da Educação.

Saiba mais

Fundação SM apoia Academia de Líderes Ubuntu

Matéria 17/12/2021

Na primeira edição digital do Ubuntu United Nations, com tema “Construir pontes: jovens pela unidade na diversidade”, entre os 600 jovens selecionados de 190 países, quatro são brasileiros: Anderson Pereira, Natália Cócolo, Thaise Temoteo e Vitoria Galvão.

Saiba mais

Fundação SM e OEI anunciam vencedores nacionais do Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos

Matéria 14/12/2021

Escola Municipal de Ensino Fundamental Duque de Caxias, de São Paulo, vence com o projeto Aula Pública e os novos desafios com a pandemia da Covid-19, enquanto o Projeto UniFavela – semeando o ensino popular, da Associação Social UniFavela, do Rio de Janeiro, foi o vencedor na educação informal.

Saiba mais

Conheça os finalistas nacionais do Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos

Matéria 13/12/2021

Este ano, o Prêmio de Educação em Direitos Humanos Oscar Arnulfo Romero recebeu 71 inscrições de instituições de ensino e de organizações da sociedade civil que desenvolveram projetos com foco na garantia do direito à saúde na sala de aula.

Saiba mais

Ver mais notícias